Capacidade absortiva em agências de viagens: um estudo no Estado de Sergipe, Brasil

  • Éder Danilo Bezerra Fundação Getulio Vargas - FGV/EAESP
  • Glessia Silva Universidade Federal de Alagoas - UFAL Fundação Getulio Vargas - FGV/EAESP
  • Débora Eleonora Pereira da Silva Universidade Federal de Sergipe - UFS
Palavras-chave: Inovação, Conhecimento, Capacidade Absortiva, Agências de Viagens, Sergipe.

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a capacidade absortiva de agências de viagens, com base no modelo de capacidade absortiva de Zahra e George (2002). A pesquisa se justifica dada a representativa do segmento turístico no setor de serviços e a necessidade de utilizar medidas de inovação mais próximas das especificidades do setor e voltadas às capacidades dinâmicas dessas empresas. O estudo é quantitativo, com abordagem exploratória e descritiva. Foi utilizada uma survey, tendo um questionário como instrumento de coleta de dados. A pesquisa foi realizada junto às agências de viagens filiadas à ABAV Sergipe – Associação Brasileira das Agências de Viagens do Estado de Sergipe, totalizando inicialmente 50 empresas listadas, das quais 08 não puderam participar, de modo que foi obtido um total de 42 (84%) respondentes, incluindo as agências de viagens localizadas no interior do Estado. A tabulação e análise dos dados foram feitas com o auxílio dos softwares IBM SPSS Statistics 19, Minitab 17 e Microsoft Excel 2007. Os resultados demonstraram que a imitação criativa é uma das principais fontes de inovação para as agências do Estado de Sergipe e fruto do relacionamento com clientes e outras empresas, sejam concorrentes ou fornecedores, o que torna essas empresas abertas para novos conhecimentos. As agências pesquisadas também criam redes informais que garantem que o conhecimento e as informações de que necessitam sejam transmitidas dentro da organização de maneira rápida e dinâmica. Como contribuição, o artigo avança na literatura de inovação e turismo, ao estudar a inovação sob uma perspectiva diferente da shumpeteriana, propondo uma lente de análise alternativa.

Biografia do Autor

Éder Danilo Bezerra, Fundação Getulio Vargas - FGV/EAESP
Bacharel em Turismo pela Faculdade Sete de Setembro (FASETE). Mestre em Administração pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Doutorando em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV/EAESP)
Glessia Silva, Universidade Federal de Alagoas - UFAL Fundação Getulio Vargas - FGV/EAESP
Bacharela em Administração pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Mestra em Administração pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Doutoranda em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV/EAESP). Professora Assistente da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).
Débora Eleonora Pereira da Silva, Universidade Federal de Sergipe - UFS
Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professora do Departamento de Administração e do Programa de Pós-Graduação em Administração/PROPADM da Universidade Federal de Sergipe (UFS)
Publicado
10-03-2016
Seção
Artigos