Turismo juvenil? As viagens na biografias de jovens de bairros populares de Buenos Aires

Silvia Alejandra Tapia

Resumo


Neste artigo apresento resultados de minha tese de doutorado cujo objetivo geral é analisar as experiências de jovens dos bairros populares de Buenos Aires, investigando articulações entre mobilidades e corporalidades em seus processos de individuação. A abordagem qualitativa foi proposta, seguindo as diretrizes da teoria fundamentada. Entrevistas semiestruturadas, relatos biográficos e observação participante foram realizados em uma organização social que oferece oficinas gratuitas de circo para jovens de bairros populares. As investigações começam a alertar o turismo jovem, destacando o aumento de jovens viajantes e os centros turísticos criados em torno deles. No entanto, as possibilidades de viajar e sair de férias diferem entre os grupos sociais, por isso a sua abordagem torna-se uma forma de reconhecer as desigualdades sociais. Este artigo identifica as características das viagens presentes nas biografias dos jovens entrevistados, a maneira como eles as percebem, os sentidos ao seu redor, bem como os facilitadores e as limitações para realizá-los. Dos emergentes em suas histórias destacam-se três tipos de viagens: possíveis e motivadas por laços familiares, propostos por grupos religiosos estabelecidos em bairros populares da cidade para sobrevivência na natureza e projetados para o futuro, como desejo de mobilidade potencial.


Palavras-chave


Turismo infanto-juvenil. Desigualdade social. Turismo e sociologia.



DOI: https://doi.org/10.7784/rbtur.v12i3.1508

Direitos autorais 2018 Silvia Alejandra Tapia

 

Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo
e-ISSN: 1982-6125 -  Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Nacional de Pós-Graduação em Turismo (ANPTUR) - Contatorbtur@anptur.org.br