Lazer, turismo, especulação imobiliária e conflito territorial entre São Miguel do Gostoso e Touros (RN)

Palavras-chave: Investimentos Turísticos, Mercado Imobiliário, Conflito Territorial, São Miguel do Gostoso.

Resumo

O artigo analisa a relação entre o conflito territorial envolvendo os municípios de Touros e São Miguel do Gostoso (RN) e os investimentos turísticos e imobiliários. O conflito ocorreu após a revelação de um equívoco na demarcação das fronteiras entre esses municípios, quando São Miguel do Gostoso despontava como uma destinação turística. O incremento desses investimentos em toda Região Nordeste foi decorrente da transferência de capitais europeus em busca de valorização. A coleta de dados ocorreu através da consulta de documentos, da observação sistemática, entrevistas semiestruturadas e levantamento de dados cartoriais. Com o domínio territorial questionado, São Miguel do Gostoso acumulou ônus orçamentário devido a diminuição de repasses e tributos relacionados à contagem populacional e ao uso do solo urbano. Por outro lado, assumiu o encargo de prestar serviços públicos a residentes e turistas. Os investimentos tornaram-se indutores da expansão urbana, principalmente, na Ponta do Santo Cristo, área de maior disputa e expansão de investimentos imobiliários com destacada participação de estrangeiros. Assim, os investimentos ocorridos foram decisivos para desencadear o litígio, para o qual, o termo de um acordo entre os gestores foi condicionado à manutenção das terras da Praia da Ponta do Santo Cristo para Touros.

Biografia do Autor

Wagner Fernandes Costa
Possui Graduação em Turismo e Licenciatura em Geografia (2013), ambas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2001 e 2013, respectivamente), especialização em História, Patrimônio Cultural e Turismo pela Universidade Potiguar (2006), mestrado em Turismo (Turismo e Desenvolvimento Regional) pelo Programa de Pós-graduação em Turismo da UFRN (2018). É professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) na área de Turismo e Hospitalidade nos níveis superior (presencial) e técnico (presencial e EaD).
Maria Aparecida Pontes Fonseca
Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1986), mestrado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo (1994), doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004) e pós doutorado na Universidad Autônoma de Madrid (2016/2017). É professora do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, com dedicação exclusiva, desde 1993. Participa do Programa de Pós Graduação em Geografia e do Programa de Pós Graduação em Turismo, ambos vinculados à Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Coordenada o Grupo Interdiciplinar de Pesquisa Turismo e Sociedade.

Referências

Assis, L. F. (2012). Entre o turismo e o imobiliário: velhos e novos usos das segundas residências sob o enfo-que da multiterritorialidade - Camocim/CE. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Benson, M. & O’reilly, K. (eds.) (2009). Lifestyle Migration. Expectations, Aspirations and Experiences. Far-nham: Ashgate.

Comitê Gestor do PAC. (2014). 10º Balanço - março/ junho. Disponível em: http://www.pac.gov.br/pub/up/pac/10/10PAC2-completo.pdf. Acesso em 25 de agosto de 2018.

Corrêa, R. L. (1997). Trajetórias geográficas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Costa, W.F. (2008). Turismo, produção imobiliária e conflito territorial entre São Miguel do Gostoso e Touros (RN). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Turismo. Centro de Ciências Sociais Aplica-das. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Cruz, R.C. (2000). Política de turismo e território. São Paulo: Contexto.

Dantas, E. W.; Angela, A. L. & Clementino, M. L. (2010). Turismo e imobiliário nas metrópoles. Rio de Janeiro: Letra Capital.

Flick, U. (2004). Introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: ARTMED.

Fonseca, M. A. (2012). Turismo, lazer e segunda residência. Natal: EDUFRN.

Fonseca, M. A. & Janoschka, M. (2018). Turismo, mercado imobiliário e conflitos sócioespaciais no nordeste brasileiro. Sociedade e Território, Natal, 30(1), 51-67. https://doi.org/10.21680/2177-8396.2018v30n1

Gaja i Díaz, F. (2008). El “tsunami urbanizador” enel litoral mediterráneo. El ciclo de hiperproduccióninmobili-aria 1996-2006. Scripta Nova: revista electrónica de geografía y ciências sociales [enlínia], 12. Disponível em: https://raco.cat/index.php/ScriptaNova/article/view/115464. Acesso em 25 de agosto de 2018.

Gaja i Díaz, F. (2013). Trasel tsunami inmobiliario. Salir del atolladero. In: Observatorio metropolitano de Ma-dri. Paisajes desvastados. Después del ciclo inmobiliario: Impactos regionales y urbanos de las crisis. Espa-nha: Traficantes de Sueños.

Gomes, R.; Pinto, E. & Almeida C. (2017). Turismo residencial no Algarve: a percepção dos gestores do setor público. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, 11(2), 197-217. https://doi.org/10.7784/rbtur.v11i2.1246

González, R. & Mantecón, A. (2014). Turismo y negocio inmobiliario: lacrisis de un modelo de Desarrollo. Tres casos de estudio de Canada, Argentina y España. Estudios y Perspectivas en Turismo, 23(4).

Hall, M. (2011). Planejamento turístico: políticas, processos e relacionamentos. São Paulo: Cantexto.

Harvey, D. (1989). The Urban Experience. Oxford, UK: BasilBleckwell.

Harvey, D. (2004). O novo imperialismo (2 ed.) São Paulo: Loyola.

Harvey, D. (2008). O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Edições Loyola.

Harvey, D. (2011). O enigma do capital: e as crises do capitalismo. São Paulo, SP: Boitempo.

Huete, R. & Mantecón, A (2010). Los límites entre el turismo y la migración residencial. Una tipología. Papers. Revista de Sociología, 95(3), 781-801. http://dx.doi.org/10.5565/rev/papers/v95n3.95

Huete, R., & Mantecón, A. (2013). La migración residencial de noreuropeos en España. Convergencia. Revista de Ciencias Sociales, 20(61), 219-245.

Mantecón, A.; Huete, R. & Mazón T. (2009). Las urbanizaciones “europeas”. Una investigación sobre las nue-vas sociedades duales en el Mediterráneo. Scripta Nova. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Socia-les. 3(301). Disponível em: http://www.ub.es/geocrit/sn/sn-301.htm

Matias, E. & Carvalho, A. (2017). Microrrealidades socioculturais transformadas pelo turismo em São Miguel do Gostoso, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, 11(3), 537-557. https://doi.org/10.7784/rbtur.v11i3.1319

Novaes, L. N. S. (2012). Turismo de sol e mar: empreendimentos turísticos imobiliários e o desenvolvimento urbano e socioeconômico no litoral do Ceará - o caso de Beberibe. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Nunes, M. R. O. (2014). Investimentos internacionais e o turismo em Tibau do Sul/RN. Dissertação de Mes-trado. Programa de Pós-Graduação em Turismo. Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Palafox-Muñoz, A., Dizb-Basto, A. & Kauil-Fernandez, E. (2014). Una mirada al turismo residencial en la Isla de Cozumel, México. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, 8(2), 326-339. http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v8i2.718

Santos Júnior, A. P. (2015) Investimentos internacionais e a valorização imobiliária dos municípios de Maxa-ranguape e Rio do Fogo. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Geografia. Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Santos, M. (2009). A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção (4 ed.). São Paulo: EDUSP.

Taveira, M. S. (2015). A turistificação de São Miguel do Gostoso: a internacionalização da "cidade dos ventos". Revista Turismo e Desenvolvimento, 8(19).

Toniolli, L. S (2014). Uso e ocupação do trecho costeiro do Porto das Dunas: processo imobiliário, turístico e urbanístico. Dissertação de Mestrado. Mestrado em Desenvolvimento e Humanidades. Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

Valença, M. (2008). Ensaio sobre a dinâmica do imobiliário em Harvey. In: Valença, M. (Org.). Cidade (i)legal. Rio de Janeiro: Mauad X.

Valls, J. (2006). Gestão integral de destinos turísticos sustentáveis. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Publicado
24-08-2019