O mercado de trabalho dos egressos de cursos superiores em turismo

comparações dos dados de 2012 - 2018

Palavras-chave: Turismo, Formação Superior, Egressos, Mercado de Trabalho

Resumo

Ainda que haja muito debate acerca da formação em turismo, incluindo grupos de trabalho em muitos eventos, há, do outro lado, pouca informação acerca da empregabilidade dos egressos desses cursos. Houve ao longo do tempo um distanciamento notório entre os interesses dos formadores e dos contratantes, sendo os primeiros mais voltados à construção acadêmica e humanística dos graduandos e os últimos com foco em profissionais com habilidades adquiridas de forma adequada durante seu período de formação. A partir da comparação entre os dados da atuação profissional dos egressos de cursos superiores em turismo 2012 e 2018, o presente artigo discute o mercado de trabalho de egressos de cursos superiores no Brasil, no que diz respeito às principais atividades, setores de atuação e remuneração. Baseia-se em dados primários e secundários, com caráter descritivo e enfoque qualitativo na interpretação dos dados. Entre os principais resultados destacam-se que o mercado de trabalho em turismo não é tão diversificado quanto se pensa e se ensina nos cursos de turismo já que se percebe concentração de turismólogos em uma única ou poucas áreas de atuação; uma percepção da melhora discreta na remuneração e aumento da participação de docentes no mercado e o aumento de respondentes ligados ao setor público.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Silveira, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil
Graduado e especialista em Turismo e Hotelaria, mestre em Turismo em Países em Desenvolvimento e doutor em Gestão e Desenvolvimento Turístico Sustentável. Professor da UFPR, no Curso de Graduação em Turismo no Programa de Pós-graduação em Turismo. Tem experiência na área de Turismo, com pesquisas relacionadas à Educação Superior em Turismo e Planejamento Turístico, atuando principalmente na relação entre formação e mercado de trabalho em turismo. Vinculado aos Grupos de Pesquisa TEEM - Turismo, Educação, Emprego e Mercado, e, DemandaTur - Fatores Determinantes e Condicionantes da Demanda Turística.
Juliana Medaglia, Universidade Federal do Paraná - UFPR, Curitiba, PR
Graduada em Turismo, com especializações em Marketing Empresarial e Gestão Social, mestre em Comunicação e Turismo e doutora em Ciência da Informação. Professora da UFPR, no Curso de Graduação em Turismo no Programa de Pós-graduação em Turismo. Pesquisa e atua nas áreas Turismo, com ênfase em Planejamento Estratégico de Marketing, Demanda Turística, Organização da Informação e Educação Superior em Turismo. Vinculada aos Grupos de Pesquisa TEEM - Turismo, Educação, Emprego e Mercado, DemandaTur - Fatores Determinantes e Condicionantes da Demanda Turística, e, Fundamentos teóricos, metodológicos e históricos da Organização da Informação.
Marcia Shizue Massukado-Nakatani, Universidade Federal do Paraná, UFPR, Curitiba, PR, Brasil
Graduada em Turismo, mestre e doutora em Administração. Professora da UFPR, no Curso de Graduação em Turismo no Programa de Pós-graduação em Turismo. Desenvolve estudos relacionados às metodologias de investigação e construção do conhecimento em turismo, à comunicação e informação turística, à promoção e comercialização de destinos e produtos turísticos e, à formação superior em turismo. Atua como revisora ad hoc de periódicos da área de Turismo, de eventos em Turismo e em Administração e de agências de fomento. Vinculada aos Grupos de Pesquisa TURITEC - Turismo, Tecnologia, Informação, Comunicação e Conhecimento e TEEM - Turismo, Educação, Emprego e Mercado.

Referências

Ansarah, M. G. R. (2002). Formaçao e capacitaçao do profissional em turismo e hotelaria. Barueri: Aleph.

Babbie, E. (1999). Métodos de pesquisas de Survey. Belo Horizonte: UFMG.

Barretto, M., Tamanini, E., & Silva, M. I. P. (2004). Discutindo o ensino universitário de turismo. Campinas: Papirus.

Baum, T. (2018). Sustainable human resource management as a driver in tourism policy and planning: a seri-ous sin of omission? Journal of Sustainable Tourism, 26(6), 873–889. https://doi.org/10.1080/09669582.2017.1423318 DOI: https://doi.org/10.1080/09669582.2017.1423318

Aranha, K. C, & Rocha, D. C. (2014). Reflexões acerca do ensino no curso superior de turismo: realidade, de-safios e tendências. Revista Iberoamericana de Turismo-RITUR, 4(2), 67–76. Retrieved from: http://www.seer.ufal.br/index.php/ritur

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018). Síntese de indicadores sociais: uma análise das condi-ções de vida da população brasileira 2018 [Synthesis of social index: an analysis of the living standars of the brazilian population 2018]. Retrieved from: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101629.pdf

Leal, S., & Padilha, M. (2005). Brazil and Latin America. In D. Airey & J. Tribe (Eds.), An international handbook of tourism education. Oxford. DOI: https://doi.org/10.1016/B978-0-08-044667-7.50012-4

Leal, S. R. (2010). Qualidade da educação superior em turismo: a voz dos estudantes. Retrieved from: https://www.ucs.br/ucs/eventos/seminarios_semintur/semin_tur_6/arquivos/01/Qualidade%20da%20educacao%20superior%20em%20turismo%20a%20voz%20dos%20estudantes.pdf

Mancebo, D., Vale, A. A. , & Martins, T. B. (1995). Políticas de expansão da educação superior no Brasil. Revis-ta Brasileira de Educação, 20(60), 31–50. https://doi.org/10.1590/S1413-24782015206003 DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782015206003

Matias, M. (2002). Turismo formação e profissionalização. São Paulo: Manole.

Matias, M. (2005). Panorama da formação profissional em turismo e suas relações com o mercado de traba-lho no Brasil. In L. G. G. Trigo (Ed.). Análises regionais e globais do turismo brasileiro. Porto Alegre: Roca.

Medaglia, J., Silveira, C. E., & Gandara, J. M. G. (2012). Quatro décadas de ensino superior de turismo no bra-sil: dificuldades na formação e consolidação do mercado de trabalho e a ascensão de uma área de estudo como efeito colateral. Turismo - Visão e Ação, 14(1), 006–018. https://doi.org/10.14210/rtva.v14n1.p006-018

Ministério da Educação, Brasil. (2018). Cadastro nacional de cursos e instituições de educação superior. Retrieved from http://emec.mec.gov.br.

Paula, S. C., Carvalho, F. C. C. de, & Pimentel, T. D. (2018). (In) Definição de Competências Laborais em Tu-rismo: implicações sobre o perfil profissional. Revista Latino-Americana de Turismologia, 3(2), 63–69. https://doi.org/10.34019/2448-198X.2017.v3.10035. DOI: https://doi.org/10.34019/2448-198X.2017.v3.10035

Pimentel, T. D., & Paula, S. C. (2014). Autodiagnose da formação superior e qualificação profissional em tu-rismo: Pistas para uma (necessária) reorientação? Revista Turismo & Desenvolvimento, 1(21/22), 275–285.

Santos, G. E. O., Costa, B. V., & Malerba, R. C. (2015). Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo: empregabilidade, perspectivas e percepções do egresso do IFSP. Revista Turismo Em Análise, 26(3), 719. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v26i3p719-742 DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v26i3p719-742

Silveira, C. E., & Medaglia, J. (2012). Situação profissional dos egressos de cursos superiores em turismo: dados gerais.

Silveira, C. E., Medaglia, J., & Massukado-Nakatani, M. S. (2018). Atuação profissional dos egressos de cursos superiores em turismo – 2018: resultados sintetizados dos dados gerais da Pesquisa. https://doi.org/10.13140/RG.2.2.10652.54409/4

Sogayar, R. L., & Rejowski, M. (2011). Ensino superior em turismo em busca de novos paradigmas educacio-nais: problemas, desafios e forças de pressão. Turismo - Visão e Ação, 13(3), 282–298. https://doi.org/10.14210/rtva.v13n3.p282-298

Publicado
28-04-2020
Seção
Artigos