Hospitalidade e Gestão para Stakeholders

uma análise qualitativa das contribuições em eventos corporativos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v16.2309

Palavras-chave:

Hospitalidade, Eventos Corporativos, Mobilidade Corporativa, Stakeholders

Resumo

As empresas têm a oportunidade de fortalecer os laços com seus consumidores ao prover experiên-cias que demonstrem relações existentes entre os diferentes stakeholders que participam do pro-cesso. No contexto dos eventos corporativos, algumas experiências podem ser mensuradas por meio da prestação de serviços que envolve a mobilidade corporativa. Dentro dessa abordagem o objetivo geral é com-preender qual a relevância da hospitalidade paraas empresas de eventos corporati-vos. Busca-se ainda como objetivos específicos: 1) elencar quais são os principais serviços da mobili-dade corporativa na percepção das empresas de eventos corpora-tivos; 2) enumerar os principais stakeholders dos eventos corporativos. Fundamenta-da nos objetivos estabelecidos, este estudo é qualitativo de caráter exploratório, realizado por meio de um roteiro de entrevista semiestruturadas com análise de conteúdo proposta por Bardin (1977) usando a ferramenta Atlas TI. A aplicação do roteiro de entrevista se deu em seis especialistas do segmento de eventos corporati-vos, cujos re-sultados apontaram para o conhecimento do termo Hospitalidade por todos e a associa com o bem-estar, pensar nos detalhes e gerir a experiência. Os resultados deram suporte para afirmar as pre-posições adotadas para este momento da pesquisa (P1 -A hospitalidade influencia a relação anfi-trião-hóspede sendo rele-vante para as empresas de eventos corporativos e P2 –A hospitalidade influencia positivamente a gestão para os stakeholders na mobilidade corporativa)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cicera Carla Bezerra Silva, Centro Universitário Senac, Campus Águas de São Pedro, Sp, Brasil

Concluiu Doutorado na Universidade Anhembi Morumbi (2020), é Mestre em Hospitalidade pela mesma instituição em (2016), especializada em MBA em Gestão Escolar no Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas -FMU (2014), Pós-graduada Lato Sensu In Business Administration pelo IBMEC São Paulo (2007), graduada em tecnologia em Hotelaria pelo Centro Universitário Senac (2004). Atualmente é gerente do Centro Universitário Senac -Águas de São Pedro e pesquisadora na linha de pesquisa Hospitalidade na Competitividade em Serviços.Contribuições para o trabalho: Concepção da pesquisa, Revisão da literatura, Coleta de dados, Análise de dados e Discussão.

Ana Claudia Guimarães Antunes, Centro Universitário Senac -Campus Santo Amaro, SP, Brasil

Doutoranda e mestre em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi na linha de pesquisa Hospitalidade na Competiti-vidade em Serviços tendo como objeto de pesquisa a gastronomia, graduada em Tecnologia em Gastronomia e em Bacharelado em Nutrição (CRN 40596) pelo Centro Universitário Senac –Campus Santo Amaro. Atua na área de alimentos e bebidas desde 2006. Atualmente é docente no Centro Universitário Senac -Campus Santo Amaro, nos cursos Bacharelado em Nutrição, Tec-nologia em Gastronomia e Engenharia Ambiental e Sanitária. Contribuições para o trabalho: Concepção da pesquisa, Revisão da literatura, Coleta de dados, Análise de dados e Discussão

Elizabeth Kyoko Wada, Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, SP, Brasil

Universidade Anhembi Morumbi, bolsista CNPQ Nível 2 com a pesquisa Mobilidade Corporativa na América Latina, concluiu pós-doutorado na UFPR -PPG em Turismo (2016), é Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (1994), Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (1989), Especialista em Administração Mercadológica pela EAESP/FGV (1982), graduada em Turismo pelo Centro Universitário Ibero Americano Unibero (1979) e em Comunicação Social -Relações Públicas pela Universidade de São Paulo (1980). É Coordenadora do PPG em Hospitalidade e do MP em Gestão de A&B da Universidade Anhembi Morumbi e pesquisadora do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Social e Tecnológico (ISAM). É docente desde 1981. É Vice-Presidente de Finanças de MPI Brazil Chapter (Meeting Professionals International) e membro do Conselho de Administração de Bourbon Hotéis & Resorts. Contribuições para o trabalho: Concepção da pesquisa, Revisão da literatura, Análise de dados e Discussão.

Paulo Sergio Gonçalves de Oliveira, Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, SP, Brasil

Professor e Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Hospitalidade (Mestrado e Doutorado) e do Mestrado Profissional de Gestão de Alimentos e Bebidas da Universidade Anhembi Morumbi, onde é responsável por ministrar as disciplinas de Cadeia de Suprimentos em Gestão de A&B e Seminários de Tese em Hospitalidade na Competitividade em Serviços. Atualmente coor-dena o projeto de pesquisa?Comunidades de Prática para a Promoção de Inovações no Setor de Gastronomia? Possui Douto-rado em Engenharia de Produção, pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Mestrado em Administração pela Uni-versidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS).Contribuições para o trabalho: Concepção da pesquisa, Revisão da literatura, Análise de dados e Discussão.

Referências

Bardin, L. (1977). “Análise de conteúdo”. Lisboa: Edições 70.

Beaverstock, J. V. & Budd, L. C.S. (2013). “International business travel in a digital world economy”. Transportation Business

and Management, 9: 1-4.

Beaverstock, J. V., et al. (2009). “International business travel: some explorations”. Geografiska Annaler: Series B, Human Geography, 91(3): 193–202.

Benveniste, É. (1995). “Hospitalidade”. In: _____________ . O vocabulário das instituições indo-européias. Economia, parentesco, sociedade. Campinas: Ed. da Unicamp, 1:87-101.

Burns, R.B. (1997). “Introduction to Research Methods”. South Melbourne: Addison Wesley Longman.

Camargo, L. O. de L. (2015). “Os interstícios da hospitalidade”. Revista Hospitalidade. São Paulo, 7(especial):42-69.

Camargo, L. O. de L. (2004). “Hospitalidade”. São Paulo: Aleph.

Carroll, A. B. & Buchholtz, A. K. (2008). “Business & Society: Ethics and Stakeholder management 7th”. Australia: Thomson South Western.

Ferreira, R. S., & Wada, E. K. (2011). “Corporate mobility in Latin America”. São Paulo: Aleph. In: Wada, E. K.; et al (2014). Mobilidade corporativa: Estudo de casos múltiplos – Carlson Wagon Lits, Alatur e Tour House (São Paulo, Brasil). Revista Turismo & Desenvolviemento, 31(21-22):61-71.

Freeman, R. E. (1984). “Strategic management: a stakeholder approach”. Cambridge: University Press.

Freeman, R. E. (2010). “Strategic management: a stakeholder approach”. Cambridge: University Press.

Freeman, R. E., Harrison, J. S. & Wicks, A. C. (2007). “Managing for stakeholders: Survival, reputation, and success”. Yale: University Press.

Friese, S. (2012). “Qualitative Data Analysis with Atlas.ti”. London: SAGE Publications.

Getz, D. (2008). Event tourism: Definition, evolution, and research. Tourism management, 29(3): 403-428.

Joia, R. M. & Babonea, A. M. (2012). “Economic Globalization – a Phenomenon of Global Business Integration”. In: The 7th Edition of the Internacional Conference European Integration Realities and Perspectives. (2012). EIRP Proceedings, 7. Disponível em: http://proceedings.univ-danubius.ro/index.php/eirp/article/view/1291. Acesso em: 12 fev. 2019

Jones, A. (2013). “Conceptualizing business mobilities: towards an analytical framework”. Transportation Business and Management, 9:55-66.

Kesselring, S. (2015). “Corporate Mobilities Regimes”. Mobility Power and the Socio-geographical Structurations of Mobile Work. Mobilities, 10(4):571-591.

Lashley, C. & Morrison, A. (orgs.) (2004). “Em busca da hospitalidade: perspectivas de um mundo globalizado”. São Paulo: Manole.

Lashley, C. (2015). “Hospitalidade e Características de hospitalidade”. Revista Hospitalidade, 70-92.

Lashley, C. (2008). “Studying hospitality: insight from social science”. Scandinavian Journal of Hospitality and Tourism, 8(1): 69–84.

Martins, A. (2019). “Cresce a participação do turismo no PIB nacional”. Ministério do Turismo. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/%C3%BAltimas-not%C3%ADcias/12461-cresce-a-participa%C3%A7%C3%A3o-do-turismo-no-pib-nacional.html Acesso em: 8 Ago. 2019.

Martins, V. G., & Murad Jr., E. (2010). “Viagens corporativas”. São Paulo: Aleph.

Nakane, A. M. (2006). “A valorização do capital humano nos eventos corporativos organizados pelos princípios da gestão Disney – sonhar, acreditar, ousar e fazer”. Dissertação (Mestrado em Hospitalidade) – Universidade Anhembi Morumbi, SP.

Pearce, P. (2012). “The Ulysses factor: Evaluating visitors in tourist settings”. Springer Science & Business Media.

Preston, L. (1990). “Stakeholder management and corporate performance”. Journal of Behavioural Economics, 19(4): 361-375.

Selwyn, T. (2004). “Uma antropologia da hospitalidade”. Em busca da hospitalidade: perspectivas para um mundo globalizado. Barueri: Manole.

Unger, O., Uriely, N. & Fuchs, G. (2016) “The business travel experience”. Annals of Tourism Research, 61: 142-156.

UNWTO – World Tourism Organization. (2017). “Tourism Highlights”. Disponível em: http://people.unica.it/carlamassidda/files/2017/06/UNWTO_Tourism-Highlights_2017.pdf. Acesso em: 20 fev. 2019.

UNWTO – World Tourism Organization. (2018). “Tourism Highlights”. Disponível em: https://observatorioturismo.maceio.al.gov.br/wp content/uploads/UNTWO_Tourism_Highlights_2018_Edition.pdf. Acesso em: 20 fev. 2019.

UNWTO - World Tourism Organization. (2013). “Tourism Highlights”. The United Nations of World Tourism Organization. Disponível em: < https://www.e-unwto.org/doi/pdf/10.18111/9789284415427>. Acesso em: 15 fev. 2019.

Wada, E. K. et al. (2014). “Mobilidade corporativa: Estudo de casos múltiplos” – Carlson Wagon Lits, Alatur e Tour House (– São Paulo, Brasil). Revista Turismo & Desenvolviemento, 31(21-22): 61-71.

Wada, E. K. & Moretti, S. L. A. (2014). “Hospitalidade: dos domínios às lentes e sua inserção nos processos de gestão”. Caderno de Estudos e Pesquisas do Turismo, 3(3): 95-105.

Walker, S. F. & Marr, J. W. (2001). “Stakeholder power: a winning strategy for building stakeholder commitment and driving corporate growth”. Cambridge: Perseus Publishing. In: SCHIAVONI, Patrícia; et al. Stakeholders: principais abordagens. (2013). Revista de Ciências da Administração, 15(37):187-197.

World Travel and Tourism Council (WT&TC). (2011). “Business Travel: A Catalyst for Economic Performance”.

Downloads

Publicado

2022-01-19

Edição

Seção

Artigos - Turismo e Sociedade